RSS

Arquivo mensal: agosto 2011

NOTÍCIAS CULTURAIS

O Documentário Segundo Silvio Tendler no CCJF

Documentário Encontro com Milton Santos também estará na mostra

Em um ano repleto de efemérides importantes para a filmografia de Silvio Tendler, o Centro Cultural da Justiça Federal, em convênio com a Iris Cinematográfica TV e a A.I.D.A. – Associação Internacional para o Desenvolvimento do Audiovisual promovem a Mostra O Documentário Segundo Silvio Tendler.

Entre as datas significativas de 2011 relacionadas à obra do cineasta, destaque para os 50 anos da posse de Jango – os 30 anos da morte de Glauber Rocha, os cem anos do nascimento do guerrilheiro Carlos Marighella e os 10 anos da morte do geógrafo Josué de Castro. Todos estes nomes foram retratados por Tendler em alguns dos filmes mais emblemáticos de sua carreira.

A mostra reunirá seis filmes do cineasta, entre longas e médias-metragens, que retratam aspectos da política brasileira nos últimos 30 anos: Utopia e Barbárie, Encontro com Milton Santos, Glauber, o filme – Labirinto do Brasil, Marighella – Retrato Falado do Brasil, Josué de Castro e Jango.

Será uma rara oportunidade para o público assistir a estas obras em tela grande, já que nos últimos anos, a maioria delas têm sido exibidas apenas em cineclubes. A programação inclui ainda um seminário, que contará com mesas-redondas logo após as exibições dos filmes. O ingresso custa R$1.

“O Silvio está muito produtivo. Como cronista de seu tempo, ele tem muito conteúdo e está cumprindo muito bem o seu papel social. Essa mostra é uma celebração da verdade, favorecida pela democracia”, completa.

O Cineasta dos Vencidos
 – em mais de 40 anos de carreira, Silvio Tendler produziu cerca de 40 filmes, entre curtas, médias e longas-metragens, em que a maioria são biografias históricas de cunho social. Ficou conhecido como “o cineasta dos vencidos” ou “o cineasta dos sonhos interrompidos” por abordar em seus filmes personalidades como Jango, Jucelino Kubitshek, Carlos Marighella, entre outros nomes emblemáticos da política brasileira.

Seus filmes são um resgate da memória brasileira e inspiram seus expectadores à reflexão sobre os rumos do Brasil, da América Latina e do mundo em desenvolvimento. Dono de um jeito muito peculiar de fazer cinema, muitas vezes contam-se décadas entre a gestação de uma idéia, sua execução e finalização.

“A Isa Albuquerque é apaixonada pelo meu trabalho e ela transformou essa paixão em uma mostra de filmes. Achei isso muito legal”, disse Silvio, que é detentor das três maiores bilheterias de documentários na história do cinema brasileiro: O Mundo Mágico dos Trapalhões (1,8 milhões), Jango (1 milhão) e Anos JK (800 mil).

PROGRAMAÇÃO:

Quarta-feira, 31/08
18h – Glauber o Filme – Labirinto do Brasil
20h às 21h30 – Talk Show com Sílvio Tendler e a jornalista Eliana Monteiro

Quinta-feira, 01/09
16h – Reprise de Glauber o Filme – Labirinto do Brasil
18h – exibição de Encontro com Milton Santos
20h às 21h30 – Seminário: o Documentário no Brasil – As Verdades do Documentário
Com o jornalista Milton Temer e a pesquisadora Maria Claudia Badan Ribeiro

Sexta-feira, 02/09
16h – Reprise de Milton Santos
18h – Marighella, Retrato falado do guerrilheiro e Josué de Castro
20h às 21h30 – Seminário: o Documentário no Brasil – A Construção Artística do Documentário
Com o jornalista e crítico de cinema Rodrigo Fonseca e o professor e crítico de Cinema Miguel Pereira.

Sábado, 03/09
16h – Reprise dos filmes Marighella, Retrato falado do guerrilheiro e Josué de Castro
18h – Jango
20h às 21h30 – Seminário:O Documentário no Brasil – O Documentário e a Construção da Narrativa Histórica e Política
Com o historiador Eduardo Bueno e os professores de cinema José Eudes e Cesar Romero Jacob.

Domingo, 04/09
16h – Reprise de Jango
18h – Utopia e Barbárie

onde fica
Mostra O Documentário Segundo Silvio Tenlder
De quarta-feira, 31/08, a domingo, 4/09 de 2011
Centro Cultural da Justiça Federal: Avenida Av. Rio Branco, 241 – Centro, Rio de Janeiro
Tel.: 21 3261-2550
Capacidade de Público: 80 lugares
quando ir
31/8/2011 a 04/9/2011, às 16:00h
quanto custa
R$1
Fonte: overmundo / Projeto Paralelo
Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 30/08/2011 em Uncategorized

 

Tags:

PELOMUNDO CULTURAL

“O Flâneur da Babilônia” no SESI Vila Leopoldina

30-08-2011 – Fátima de Carvalho

Curadoria de Aline Stürmer

Com curadoria de Aline Stürmer e fotografia de Renan Rosa, a exposição “O Flâneur da Babilônia” exprime através do impacto visual das imagens, a reinvenção da estética e da beleza humana por meio de 16 retratos fotográficos ao redor do mundo. A fotografia de Renan Rosa expressa a necessidade de recriar espaços e iniciativas que rompam com a gelificação dos sentidos, e traduzam em símbolos imaginários a movimentação do humano entre os humanos. A exposição chega novamente na capital São Paulo, desta vez no SESI Vila Leopoldina, a partir do dia 01 de setembro,e ficará aberta ao público até o dia 15 do mesmo mês.

onde fica: SESI Vila Leopoldina, São Paulo, Capital.

quando ir: 01/9/2011 a 15/9/2011

quanto custa: Gratuito

website: http://www.sesisp.org.br/home/2006/sociocultural/expos_detalhes.asp?id=50

contato: Telefone: 011 3834-3458

Fonte: overmundo / Minotauro
 
Deixe um comentário

Publicado por em 30/08/2011 em Uncategorized

 

Tags:

PELOMUNDO CULTURAL

Exposições abrem a 5ª Mostra de Teatro de Bonecos

27-08-2011 – Fátima de Carvalho

Bonecos da Exposição Que Bicho Será, da Cia. Navegante

Quem estiver em Mariana, entre os dias 26 de agosto e 4 de setembro, poderá conhecer um pouco mais sobre a magia do teatro de bonecos, por meio de exposições que fazem parte da 5ª Mostra de Teatro de Bonecos.
No Ateliê da Cia. Navegante é possível visitar o a Exposição “Hoje é Dia de Maria” e na Casa de Cultura de Mariana, a Exposição “Que bicho será”, das 9h às 18h, com entrada franca. O elenco de bonecos como a libélula, os patos, o coelho, a galinha e outros bichos da fazenda, além do cenário do espetáculo “Que Bicho Será?” foi construído a partir de materiais naturais, basicamente cabaças, sementes e palhas, que em cena dão vida a uma diversidade de animais e revelam um mundo de novidades capaz de encantar a crianças e adultos. Os patinhos e outros personagens fizeram parte da minissérie “Hoje é Dia de Maria”, exibida em 2005, pela Rede Globo.
Na Casa de Cultura de Mariana estão expostos também os bonecos do Zé Pereira da Chácara, com os tradicionais “catidtões” que saem no Carnaval de Mariana. O Zé Pereira da Chácara surgiu em 1846 e é considerado um dos blocos mais antigos em atividade no Brasil. Os ‘catitões’ são produzidos de forma artesanal, com bambu, fibras de sisal, jornais e grude. São mais de 60 bonecos que homenageiam personalidades do estado e país, como o médium Chico Xavier, o ex-presidente Itamar Franco e o jogador de futebol Ronaldinho Gaúcho. Os catitões são guardados na Toca do Zé Pereira, onde os bonequeiros trabalham o ano todo na sua restauração. A exposição pode ser visitada das 9h às 18h e a entrada é franca.
No Museu de Arte Sacra de Mariana pode ser visitada a Exposição “Santos de Roca ou Santos de Vestir”. A proposta é mostrar um paralelo entre os Santos de Roca que são esculturas articuladas e os bonecos utilizados no teatro. As cenas apresentadas pelos Santos de Roca nas diferentes posições em que eles são apresentados e a linguagem do teatro de bonecos é a relação artística-cultural-educacional direta com a Mostra de Teatro de Bonecos, que tem como objetivo apresentar uma grade de atividades voltada para a formação e informação dos bonequeiros bem como estimular a manifestação da arte do teatro de bonecos como arte popular. É uma excelente oportunidade para os participantes da Mostra e o público em geral conhecerem essa arte histórica. A taxa de entrada é de R$2,00.

Sobre a Mostra de Teatro de Bonecos

A 5ª Mostra de Teatro de Bonecos propõe construir um espaço de encontro, diálogo, pesquisa e promoção da linguagem teatral com bonecos. O evento reúne marionetes, fantoches, mamulengos, bonecos de balcão e caixas de teatro lambe-lambe em uma programação de espetáculos, oficinas e exposições. O encontro também contribui para facilitar o acesso a essa arte, especialmente junto aos estudantes, às comunidades locais e aos turistas nas cidades de Mariana e Ouro Preto. Confira a programação completa no site http://www.cianavegante.com

Fonte: overmundo – Converso Comunicação

 
Deixe um comentário

Publicado por em 27/08/2011 em Uncategorized

 

Tags:

GOIANDIRA AYRES DO COUTO

22-08-2011 – Fátima de Carvalho

Artista Plástica da Cidade de Goiás

Filha de Luís de Oliveira Couto, um poeta, advogado e historiador, e de Maria Ayres do Couto, que também era pintora, Goiandira era a filha mais velha de doze irmãos e, aos seis anos, mudou-se para a cidade de Goiás. Ela também foi prima e amiga da poetisa Cora Coralina. Tendo começado a pintar desde pequena, recebeu sua primeira premiação quando tinha dezesseis anos.
Tornou-se posteriormente professora de Língua portuguesa, História, Desenho, Artes, Danças e Etiqueta, lecionando até se aposentar. Ela nunca foi casada e não tem filhos.
A pintura de Goiandira tem duas fases: a fase do óleo (1933-1967) e a fase da pintura com areia, iniciada em 1968.
Aos dezoito anos de idade, Goiandira realizou a primeira coletiva de pinturas a óleo sobre tela. Aos cinqüenta e dois, começou a pintar com as areias de pedras trituradas da Serra Dourada, técnica única e exclusiva que a tornou reconhecida internacionalmente. A técnica consiste em riscar o desenho na tela, passar cola e salpicar areia nos dedos. De acordo com a pintora, ela ouviu uma voz certo dia, que disse: “faça a sua casa de areia”.
Normalmente com casarões antigos e paisagens vilaboenses, seus quadros podem ser encontrados inclusive na sede da ONU, em museus e em coleções de arte de personalidades nacionais e internacionais.
Goiandira trabalha com 551 tonalidades de cores diferentes de areias (cor natural), dispostas em seu ateliê. Sua casa é visitada freqüentemente por turistas.
E no anoitecer de  22-08-2011 partiu do meio de nós essa incrível artista que deixou sua marca e um grande acervo pintados com areia.

“Acordei e ouvi uma voz:
Pinte um quadro com areia”…..

 

 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 22/08/2011 em Uncategorized

 

Tags:

NOTÍCIAS CULTURAIS

Revelando os Brasis IV

21-08-2011 – Fátima de Carvalho

Com parceria da SAv/MinC, mostra chega a Santa Isabel do Rio Negro, no Amazonas

O Circuito Nacional de Exibição, mostra itinerante Revelando os Brasis, chega à cidade de Santa Isabel do Rio Negro, no Amazonas, neste sábado (20), para apresentação de um vídeo de um morador selecionado pela quarta edição do projeto.
A realização é do Instituto Marlin Azul, com parceria estratégica da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (SAv/MinC) e patrocínio da Petrobras.
O documentário mostra o cotidiano dos moradores da cidade no trabalho de extração da piaçava, tradição que atravessa as gerações e forma a base econômica da comunidade de Campina do Rio Preto. Além do vídeo feito em Santa Isabel do Rio Negro, o público assistirá a outras obras audiovisuais que integram a edição do projeto.
No período de 45 dias, o circuito Revelando os Brasis visitou 54 cidades, passando por diferentes regiões brasileiras, oferecendo sessões abertas e gratuitas. Ao todo, as exibições atraíram 26 mil espectadores. A caravana pegou a estrada no dia 16 de junho, em Itambé, no Paraná, e prosseguiu até o dia 31 de julho, em Gilbués, no Piauí.
A quarta edição é composta por 22 documentários e 18 ficções. Com roteiro, produção e direção dos autores selecionados, as histórias tratam de diferentes temas que registram a memória e a diversidade cultural brasileira. Ao todo, 40 vídeos feitos a partir de histórias contadas por moradores de pequenas cidades brasileiras fazem parte do circuito.
Mais informações: www.revelandoosbrasis.com.br

(Edição de texto: Débora Palmeira, Ascom SAv/MinC)

Fonte: MinC

IV Folgança

Secretaria de Cultura do Ceará apoia encontro de grupos da cultura tradicional popular

A partir de 22 de agosto, data em que se comemora o Dia Mundial do Folclore, a cidade de Fortaleza se transformará em palco de diversas manifestações da cultura tradicional. Na ocasião, terá inicio a 4ª edição do Folgança: Encontro de Grupos da Cultura Tradicional Popular, promovido pelo grupo de Tradições Folclóricas Raízes Nordestinas, com o apoio do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria de Cultura (Secult). As atividades acontecerão no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e em dois bairros da periferia da capital cearense.

As apresentações se estendem até o dia 31 de agosto. A 4ª edição do Folgança tem como objetivo valorizar a diversidade de expressões artísticas e enaltecer as características histórico-culturais cearenses, proporcionando um maior conhecimento das peculiaridades culturais do estado.

O evento reúne grupos tradicionais, mestres da cultura tradicional, grupos folclóricos, pesquisadores, professores e estudantes. São realizadas oficinas de danças tradicionais, seminários, debates e apresentações culturais de vários grupos, numa espécie de festival itinerante.

Programação

A abertura oficial da Semana do Folclore está marcada para acontecer no dia 22, no Centro de Cidadania César Cals, localizado na Rua Cel. Matos Dourado, 1499, Pici. O evento começará às 18h e contará com entregas de placas aos homenageados e apresentações artísticas.

O Centro de Arte e Cultura Dragão do Mar reserva para os dias 25 e 26 de agosto a realização do Seminário Folclore – Educação e Turismo. Oficinas de danças tradicionais populares e apresentações artísticas ocorrerão nos dias 27 e 28.

O encerramento da Semana do Folclore, com barracas de artesanato, comidas típicas e apresentações de grupos folclóricos e artísticos  está marcada para o dia 31, a partir das 18h, na Praça do Bairro João XXIII, em Fortaleza.

(Texto: Marcos Agostinho, Ascom/MinC)
(Fotos: Divulgação/Secult-CE)

Fonte: MinC
 
Deixe um comentário

Publicado por em 21/08/2011 em Uncategorized

 

Tags:

TELAS TARSILA DO AMARAL

15-08-2011 – Fátima de Carvalho

“O MAMOEIRO” – 1925 – Fase onde Tarsila valorizou a brasilidade, a tranquilidade das cidades pequenas, a natureza tropical e os caboclos e negros.

“Morro da Favela” – 1924 – Favela é o nome de uma planta que encobria os morros na região da cidade de Canudos, onde ocorreu a guerra santa de Antonio Conselheiro.
Quando os soldados voltaram da guerra, alguns vieram para o Rio de Janeiro e fizeram moradias provisórias no Morro da Providência. Como referência ao local que viveram em Canudos este morro passou a ser popularmente conhecido por Morro da Favela. Na década de 20 o termo favela passou a ser usado para designar habitações improvisadas que ocupavam os morros.
do blog: http://www.5xfavela.com.br/?paged=2

“São Paulo” (Gazo) – 1920

 “Abaporu” é um quadro em pincel sobre tela da pintora brasileira. Hoje, é a tela brasileira mais valorizada no mundo, tendo alcançado o valor de US$ 1,5 milhão, pago pelo colecionador argentino Eduardo Costantini em 1995. Encontra-se exposta no Museu de arte latino-america de Buenos Aires (MALBA).  Abaporu vem dos termos em tupi aba (homem), pora (gente) e ú (comer), significando “homem que come gente”. O nome é uma referência à antropofagia modernista, que se propunha a deglutir a cultura estrangeira e adaptá-la à realidade brasileira. Foi pintado em óleo sobre tela em 1928 por Tarsila do Amaral para dar de presente de aniversário ao escritor Oswald de Andrade, seu marido na época. Tarsila de Amaral valorizou o trabalho braçal (pés e mão grandes) e desvalorizou o trabalho mental (cabeça pequena) na obra, pois era o trabalho braçal que tinha maior importância na época.
Fonte: wikipédia 

Tarsila do Amaral pintou a tela “A Negra” quando estudava em Paris. A artista buscou mostrar em sua arte um ambiente tipicamente tropical do Brasil, fato este facilmente identificável através da gigantesca folha da bananeira em diagonal semicurvada que se entrelaça a figura da negra.
A figura sentada, de braços cruzados e pernas grossas e toscas,tem uma aparência imóvel, como de uma imagem estática que a memória traz de volta do passado. O olhar triste parece invocar a tristeza, a melancolia e o pessimismo; fatores dos quais muitos negros vieram a morrer. Na época recebia o nome de Banzo; hoje é a conhecida “depressão”.
Em A Negra temos elementos cubistas no fundo da tela e ela também é considerada antecessora da Antropofagia na pintura de Tarsila. Essa negra de seios grandes, fez parte da infância de Tarsila, pois seu pai era um grande fazendeiro, e as negras, geralmente filhas de escravos, eram as amas-secas, espécies de babás que cuidavam das crianças.
Na interpretação da tela de Tarsila, através das pernas cruzadas da negra é possível depreender que a mesma possa estar protegendo-se contra a agressão física de seus senhores, contra o abuso sexual que sofria dentro da casa grande, fechando o sexo. Era comum os senhores engravidarem as mucamas na mesma época que engravidavam suas esposas, para que estas amamentassem seus filhos, portanto a pintura em si denuncia a condição dos negros na sociedade da época, o enorme seio sugere ser a mulher “ama-de-leite”, que muitas vezes tinha o próprio filho vendido para que pudesse amamentar o filho e/ou filha de seu dono; as pernas cruzadas sugere a mulher se protegendo, fechada ao sexo, visto que as “mucamas” muitas vezes tinham de “servir” aos seus “donos”.
Fonte: arte 


 
Deixe um comentário

Publicado por em 15/08/2011 em Uncategorized

 

Tags:

NOTÍCIAS CULTURAIS

Cinema e Vídeo dos Sertões

09-08-2011 – Fátima de Carvalho

Inscrições estão abertas para a sexta edição do encontro que tem o apoio do MinC

O Piauí se transformará no maior celeiro cinematográfico dos sertões, entre os dias 22 e 26 de novembro, período em que acontecerá, na cidade de Floriano, o 6º Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões.  O projeto tem o apoio do Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet, e conta com o patrocínio da Petrobras, que selecionou o trabalho dentro do Programa Petrobras Cultural. O encontro é uma mostra nacional de cinema e vídeo que reúne produções cinematográficas criadas em Pontos de Cultura e também produções independentes.

As inscrições, iniciadas em 1º de julho, são gratuitas e estarão abertas até o dia 30 de agosto, nas categorias de filmes de curta-metragem de produtoras independentes; filmes de longa-metragem nacionais; e filmes de curta-metragem produzidos em Pontos de Cultura.

O evento é uma promoção do Pontão de Cultura “Cultura Viva ao Alcance de Todos” e a produtora Escalet Produções Cinematográficas.  A iniciativa também conta com o apoio da Secretaria da Cidadania Cultural do Ministério da Cultura.

Cada equipe produtora responsável por filmes selecionados poderá enviar um representante da produtora ou do filme para se fazer presente no evento, com despesas de passagens, hospedagem e alimentação custeadas pelo Encontro. Durante o evento, serão oferecidas oficinas, palestras, debates e paineis com produtores, diretores e atores. Depois das exibições dos filmes acontece o IV Piauí Mix, com shows de música, dança e teatro.

Iniciativa ousada

O Encontro é uma iniciativa ousada e inovadora. Não faz tanto tempo que eram raros os eventos como este, fora do eixo do mercado, envolvendo produção, difusão e distribuição de vídeo e cinema. Mas são iniciativas como esta que projetam as produções locais e nacionais para o cenário artístico brasileiro e mundial.

Somente poderão ser exibidos nas mostras competitivas da sexta edição do evento, filmes de longa e curtas-metragens que tenham sido finalizados a partir de janeiro de 2010 e que ainda não foram exibidos no Encontro Nacional de Cinema e Vídeo dos Sertões.

As produções selecionadas  recebem premiação pela exibição dos trabalhos e ainda disputam os prêmios finais.

As inscrições são feitas pelos Correios e o regulamento, com a ficha de inscrição, está disponível no sitewww.cinemadossertoes.com.

Mais informações pelo site www.escalet.com.br, pelo e-mail pontaoculturaviva@yahoo.com.br  ou pelos telefone (89) 3522-0804.

(Texto: Fabio Grecchi, Ascom/MinC)

Fonte: MinC

Cinema Brasileiro

Ancine está recebendo inscrições para dois editais voltados para a produção cinematográfica

A Agência Nacional do Cinema (Ancine), vinculada ao Ministério da Cultura, está recebendo inscrições para dois editais voltados para a premiação de produções brasileiras.

O edital do Programa Ancine de Incentivo à Qualidade do Cinema Brasileiro – PAQ 2011 recebe inscrições até o dia 15 de setembro e premiará sete produtoras, com R$ 100 mil cada, pela qualidade da produção, aferida a partir do desempenho dos filmes no circuito de festivais nacionais e internacionais.

Podem concorrer ao PAQ 2011 empresas brasileiras detentoras de direitos de obras premiadas por júri oficial nas categorias de melhor filme e melhor direção, ou que tenham sido exibidas na principal mostra competitiva dos festivais e seus congêneres. Serão considerados apenas filmes lançados comercialmente no circuito brasileiro de salas de exibição no ano de 2009.

Os recursos do PAQ devem ser destinados obrigatoriamente à execução de projetos de desenvolvimento de obras cinematográficas, nos gêneros ficção, animação, documentário ou ensaio experimental.

O Programa de Incentivo à Qualidade do Cinema Brasileiro é um mecanismo de fomento à indústria cinematográfica nacional, que concede apoio financeiro às empresas produtoras em razão da premiação ou indicação de longas-metragens brasileiros, de produção independente, em festivais nacionais e internacionais.

Confira aqui o edital e a ficha de inscrição.

Prêmio Adicional de Renda

Produtoras, distribuidoras e exibidoras de filmes nacionais poderão se inscrever, até 19 de setembro, no edital do Prêmio Adicional de Renda – PAR 20011, que terá um total de R$ 6,5 milhões em recursos.

O objetivo da premiação, criada em 2005, é estimular o diálogo da cinematografia nacional com o seu público, premiando as empresas de acordo com o desempenho comercial dos filmes brasileiros no mercado de salas de exibição do País. Os recursos obtidos com a premiação devem ser obrigatoriamente aplicados no desenvolvimento de novos projetos, de acordo com o segmento de atuação da empresa contemplada.

Para a participação de empresas produtoras e distribuidoras, serão consideradas as obras de longa-metragem de produção independente cujo lançamento no circuito comercial  tenha ocorrido entre entre 1º de dezembro de 2009 e 30 de novembro de 2010. Já para as empresas exibidoras (cinemas de uma ou duas salas) serão considerados os filmes nacionais exibidos entre dia 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2010. Os exibidores também devem ter cumprido a Cota de Tela determinada para o ano de 2010.

Confira aqui o edital e a ficha de inscrição.

Fonte: MinC



 
Deixe um comentário

Publicado por em 09/08/2011 em Uncategorized

 

Tags: