RSS

Picasso perdido é descoberto nos EUA

17 ago

17-08-2012 – Fátima de Carvalho

Uma pintura sobre vidro de Pablo Picasso foi descoberta no Museu Evansville, em Indiana, nos Estados Unidos / Foto Divulgação 

 

A obra, que mostra uma mulher sentada com chapéu vermelho, passou quase 50 anos catalogada como obra de um artista que não existe.

Gemmaux, o nome dado pela equipe do museu ao suposto autor, é, na verdade, o plural de “gemmail”, termo francês para a técnica usada na obra, uma espécie de colagem com pedaços de vidro.

Mesmo assim, são claros os indícios de que a obra poderia ser um Picasso -a representação simultânea do rosto da mulher de frente e de perfil, traços que acenavam para o início do cubismo capitaneado pelo artista espanhol e, por fim, a assinatura inconfundível do mestre no canto direito do trabalho.

Picasso teria aprendido a técnica de pintar sobre vidro com o escritor e artista Jean Cocteau e fez 50 obras desse tipo entre 1954 e 1956. Essa técnica de colagem de vidro, junção das palavras francesas para “gema” e “esmalte”, foi desenvolvida nos anos 20.

A peça de Picasso, considerada uma obra rara do artista, foi doada ao museu norte-americano pelo magnata Raymond Loewy em 1963. Agora, ela deverá ser leiloada em Nova York, causando grande expectativa entre os analistas de mercado.

Foi, aliás, um pedido de busca da Guernsey’s, casa de leilões nova-iorquina, que levou à descoberta da obra que estava até hoje guardada na reserva técnica do museu.

Segundo o presidente do conselho do Evansville, Steve Krohn, a instituição não tem como exibir, armazenar e assegurar uma obra desse calibre e valor, daí a decisão de leiloar a composição.

“Agora que temos um entendimento completo das necessidades e custos adicionais para exibir e preservar a peça, ficou claro que seria um ônus proibitivo para o museu”, disse Krohn, justificando a decisão de vender a obra.

Não foi divulgado, no entanto, o preço que ela pode atingir em leilão. Picasso é um dos artistas mais valorizados no mercado global.

Sua tela “Nu, Folhas Verdes e Busto”, leiloada há dois anos por US$ 106,5 milhões, detinha o recorde de obra mais cara arrematada em leilão, perdendo só neste ano para a venda de “O Grito”, de Munch, por US$ 120 milhões.

“Ela brilha como uma joia”, disse John Streetman, diretor do Museu Evansville ao jornal “The Guardian”. “Sem dúvida, um conjunto único de circunstâncias levou à descoberta desse tesouro dentro do nosso museu.”

 

Fonte: o diário de mogi
Facebook: Teatro Caetanno’s Agenda Cultural
Twitter: Teatro Caetanno’s
Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 17/08/2012 em Uncategorized

 

Tags: , , , , , ,

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: