RSS

Teatro Glauce Rocha anuncia atrações de setembro

07 set

07-09-2013 – Fátima de Carvalho

Projeto PAM de ocupação do teatro da Funarte no Rio apresenta montagem baseada na obra de Bertold Brecht em curta temporada

 

71744c3cc11b970b905f7dd8f63855656ec21860

Cabarecht, um recital brechtiano estreou na quinta, 5 de setembro, abrindo a programação de setembro do Teatro Glauce Rocha, no Rio. O espetáculo dá novo tratamento à obra do dramaturgo alemão Bertold Brecht, ao reunir na mesma montagem canções de seus principais colaboradores, poemas e textos sobre o fazer teatral e o trabalho do ator. Cabarecht, que traz a cantora paulista Cida Moreira no elenco e na direção musical, fica em cartaz só até domingo, dia 8. Além do musical, o projeto PAM traz Fausto Zero de Goethe, adaptação da obra-prima do autor alemão, de 14 de setembro a 6 de outubro; e o infantil Contos Fadados que estreia no sábado, 7 de setembro.

O clima da encenação Cabarecht, um recital brechtiano revisita os cabarés alemães dos anos 1920, com uma pianista cantora, três atores cantantes, charutos, vinho, música, arte e prazer. O espetáculo resgata o decadente glamour da época e coloca em cena e hipocrisia das classes. Na montagem, quatro carecas ocupam o palco do Teatro Glauce Rocha para desabafar, com muito bom humor, as delícias e desafios de não ter cabelo. Cabarecht fica em cartaz apenas por uma semana – de 5 a 8 de setembro, às 19h.

Em seguida, a obra-prima do escritor alemão Goethe ganha montagem contemporânea em adaptação da Primus Cia de Atores. Fausto Zero de Goethe estreia no dia 14 de setembro, mas antes terá dois ensaios abertos nos dias 12 e 13 de setembro, às 19h. A tragédia de Fausto representa a própria tragédia do homem moderno, com toda a sua ciência, sabedoria, conhecimento, que se vê insatisfeito consigo mesmo e vazio por não poder saber mais daquilo que lhe é permitido. E por isso, decide fazer um pacto com o diabo Mefistófeles para que este lhe apresente todos os prazeres e agonias do mundo.

A adaptação de Alexandre Pontara traz um Fausto em versão mais simples e contemporânea. Os diálogos ganharam uma linguagem mais cotidiana e o espetáculo é mais conciso. A encenação trabalha elementos do expressionismo, misturando dança aérea contemporânea, teatro e cinema num tom de fábula tão presente na obra de Goethe. A presença constante de símbolos e signos que transitam entre o sagrado e o profano permeia toda a cena e traz à luz, os diversos Faustos – Mefisto, Fausto, Wagner e o Estudante – evoluções diferentes de um mesmo homem. A temporada se estende até 6 de outubro – quinta a domingo –, às 19h.

Para a platéia infantil, o projeto de ocupação reservou o espetáculo Contos Fadados, com oGrupo Milongas, a partir do sábado, 7 de setembro. Inspirada em jogos de mesa do tipo Detetive ou Scotland Yard, a encenação mostra que os atores são as peças do tabuleiro e os jogadores são os próprios espectadores. A apresentação começa em clima de suspense, com o mistério “Quem roubou o livro do autor no mundo dos contos e está destruindo as histórias tradicionais?”.  Os suspeitos são os personagens excluídos destes contos: Rogério Luiz, o quarto porquinho; Chato, o oitavo anão; e Isabela, a irmã da Chapeuzinho Vermelho, papéis  que os atores descobrem, através de sorteio feito em cena, quem irá interpretá-los naquele dia.

A partir daí, a plateia torna-se parte da trama e assume a função de detetive,  com a tarefa de observar atenciosamente a descrição de cada personagem e os seus motivos para praticar o roubo. Além disso, o público tem autonomia para escolher o caminho que os suspeitos vão seguir em cena, tendo como base uma tela de pano ao fundo do cenário, que simula um tabuleiro de jogo rústico, onde cada sugestão dá um seguimento diferente à trama.

“Há cenas ensaiadas, pinçadas de Os três porquinhos, Chapeuzinho Vermelho, Branca de Neve, Pinóquio, João e Maria, João e o Pé de feijão e Cinderela. Mas nunca a platéia verá todas as performances em uma apresentação, somente as cenas que aparecerem dentro do caminho que o público vai escolher,” explica o autor e diretor, Breno Sanches.

Ao final, através das pistas deixadas pelos suspeitos, a platéia, representada por um espectador que receberá o título de rei e/ou rainha da apresentação, vai poder dizer quem roubou o livro. Se errar, o vilão vence, e se acertar, salva o mundo dos contos.  E assim, com essa dinâmica interativa, é possível conferir sempre um espetáculo diferente, tanto no desenrolar da história quanto no desfecho. Contos Fadados fica em cartaz até 29 de setembro, sempre às 16h.

Entre as atividades oferecidas pelo projeto de ocupação estão O Cheiro do Escuro, com a Cia. Cataplay!, no dia 18 de setembro; e o Studio Primus, no dia 25, com o diretor teatral Amir Haddad que recebe para uma conversa Rodolfo Garcia Vazquez e Ivam Cabral, fundadores do grupo teatral Os Satyros, de São Paulo. As duas atrações são gratuitas e acontecem às quartas, às 19h.

Confira a programação:

Espetáculos

Cabarecht, um recital brechtiano

De 5 a 8 de setembro
De quinta a domingo, 19h

Esta montagem reúne um experiente grupo de profissionais para dar um novo tratamento à tão encenada obra do dramaturgo alemão Bertold Brecht, reunindo em um mesmo espetáculo canções de seus principais colaboradores, poemas e textos sobre o fazer teatral e o trabalho do ator, em um clima que revisita os Cabarés Alemães dos anos 1920. Uma pianista cantora, três atores cantantes, charutos, vinho, música, arte e prazer. Em 2012, Cabarecht, um recital brechtiano abriu o Festival de Teatro Brasileiro em Goiânia e Brasília; contemplado com o Prêmio Funarte Myriam Muniz 2012.

Ficha Técnica:

Elenco: Cida Moreira, Sandra Dani, Antônio Carlos Brunet e Roberto Camargo
Direção e roteiro: Humberto Vieira
Direção musical: Cida Moreira
Caracterização: Cá Miranda
Iluminação: Cláudia De Bem
Figurino: André Betio
Cenografia: Humberto Vieira
Produção executiva: Ms2 Produtora

Gênero: Musical
Duração: 80 minutos
Classificação: 16 anos
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia)

Fausto Zero de Goethe
De 14 de setembro a 6 de outubro
De quinta a domingo, às 19h

A tragédia de Fausto, célebre texto do alemão Goethe, adaptada ao cotidiano do homem moderno, com toda a sua ciência, sabedoria e conhecimento. Insatisfeito consigo mesmo, ele resolve fazer um pacto com o diabo Mefistófeles para que este lhe apresente todos os prazeres e agonias do mundo. A presença constante de símbolos e signos que transitam entre o sagrado e o profano permeia toda a encenação buscando trazer à luz, os diversos Faustos – Mefisto, Fausto, Wagner e o Estudante –, evoluções diferentes de um mesmo homem.

Ficha Técnica:
Texto – Fausto de Goethe
Tradução – Christine Rohrig
Adaptação – Alexandre Pontara
Direção: Alexandre Pontara
Co-direção – Cláudia Cristal e Laura Azulay
Assistência de direção – Claudia Wer
Direção de vídeo – Leonardo Miranda
Edição e direção de fotografia – Diego Amorim
Direção musical – Gustavo Henrique
Cenografia – Cachalote Mattos
Assistente de cenografia – Mauro Soh
Cenotécnico – Moisés Cupertino
Figurino – Michele Kosarczuk
Assistente de figurino – Helida Serimarco
Iluminação – Alexandre Pontara e Cláudia Cristal
Fotografia artística – Claudia Wer
Elenco – Jorge Paz, Ludmila Wischansky, Maha Sati, Lu Anastacio, Paolo Sampaio, Mauro Faria, Joe Wolfart, Rodrigo Leça, Andrea Quesado, Lauro Junger, João Paulo Guerreiro e Julia Fernandes.
Produção e idealização – Primus Cia de Atores

Gênero: Drama
Duração: 110 minutos
*Ensaio aberto: 12 e 13 de setembro, às 19h (a confirmar)
Ingresso: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Infantil
Contos Fadados
De 8 a 29 de setembro
Sábados e domingos, às 16h

Inspirado em jogos de mesa do tipo Detetive ou Scotland Yard, em que os atores são as peças do tabuleiro e os jogadores os próprios espectadores. A plateia é parte da trama e assume a função de detetive, com a tarefa de observar atenciosamente a descrição de cada personagem e os seus motivos para praticar o roubo do livro do autor, no mundo dos contos. Também escolhe o caminho que os suspeitos vão seguir em cena. Ao final, através das pistas deixadas por eles, um espectador – que receberá o título de rei e/ou rainha da apresentação – vai dizer quem roubou o livro. Se errar, o vilão vence, e se acertar, salva o mundo dos contos.

Ficha Técnica:
Direção e dramaturgia: Breno Sanches
Elenco: Camile dos Anjos, Hugo Sousa e Roberto Rodrigues
Músico: Matheus Rebelo
Trilha sonora: Matheus Rebelo, Adriano Pellegrini e Roberto Rodrigues
Cenário: Roberto Rodrigues
Figurinos: Arlete Rua e Breno Sanches
Adereços: Breno Sanches
Iluminação: Breno Sanches

Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: Livre
Ingressos: R$10 (inteira) R$5 (meia)

FLUXOS DE CENA
Quarta, 18 de setembro, às 19h

O Cheiro do Escuro Com a Cia. Cataplay!

Resultado de pesquisa acadêmica realizada na UniverCidade em 2010, O Cheiro do Escuro tem como foco o trabalho físico dos intérpretes, no qual o próprio gesto é a dramaturgia. O trabalho tem influências do cineasta Tim Burton e do movimento expressionista alemão. Em cena, uma atmosfera onírica e sombria, além da presença de criaturas fantasiosas, sem compromisso com a realidade, porém tocando em questões extremamente humanas. Baseada no conto A Gata Borralheira dos irmãos Grimm, a peça segue uma narrativa não-linear, misturando passado e presente para montar a história de Cindy. A jovem órfã mora com suas duas irmãs postiças, que a transformam na empregada da casa, e se divertem assassinando a pobre menina, que sempre retorna à vida. O ciclo parece infinito: a jovem acorda no cemitério e volta para trabalhar em casa, quando é morta novamente. A história muda de rumo com a chegada do baile, quando Cindy se apaixona. Esse curioso amor é ameaçado, fazendo a moça mudar seu comportamento para protegê-lo.

A Cia Cataplay! é formada por atores que se conheceram ao longo do curso superior de Bacharelado em Teatro na UniverCidade. O coletivo se uniu devido a vontade de dar continuidade ao encontro formado durante o período acadêmico, além das suas inquietações artísticas em comum e divergentes, somado ao desejo de se produzir e transformar em realidade seus anseios artísticos.

Ficha Técnica:
Direção: Taís Trindade
Elenco: Hugo Camizão, Moisés Salazar e Taisa Damous
Trilha original: Emanuel Lima
Iluminação e cenário: Paulo Denizot
Figurino: Manuela Alves
Produção: Tatjana Vereza
Operadora de som: Rafaella Ranauro

Gênero: Espetáculo Teatro Físico/Gestual/Pesquisa
Classificação Indicativa: 14 anos
Duração: 30min
Entrada Franca

STUDIO PRIMUS (por dentro da cena)

Quarta, 25 de setembro, às 19h

Amir Haddad convida Rodolfo Garcia Vasquez e Ivam Cabral, fundadores do grupo teatral
Os Satyros – SP

Entrada franca
Distribuição de senha 1h antes.
Classificação Indicativa: Livre

Teatro Glauce Rocha
Av. Rio Branco, 179 – Centro
Rio de Janeiro – RJ

 

Fonte: Funarte
Facebook: Teatro Caetanno’s Agenda Cultural
Twitter: Teatro Caetanno’s
Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 07/09/2013 em Uncategorized

 

Tags:

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: