RSS

‘A Filha do teatro’, do pernambucano Luís Augusto da Veiga Reis, se apresenta na Sala Funarte – Rio

11 nov

11-11-2013 – Fátima de Carvalho

 

Texto, que terá leitura dramática no dia 12, foi contemplado com o Prêmio Funarte de Dramaturgia 2003

Bruna-Castiel-da-Cenicas-Cia.-de-Repertorio_2013.-A-Filha-do-teatro_ilustracao-Ciclo-de-Leituras-Dramaticas-375x254                                  Bruna Castiel – Cênicas Cia. de Repertorio (2013).
                                  Foto: André Barreto – divulgação

A peça A Filha do teatro será apresentada na terça-feira, 12 de novembro, às 18h30, na Sala Funarte Sidney Miller, Centro do Rio, como próxima atração do Ciclo de Leituras Dramáticas da Funarte. A entrada é gratuita. O texto é do pernambucano Luís Augusto da Veiga Reis e a direção é de Henrique Tavares. A obra foi contemplada pela Fundação Nacional de Artes, em 2003, com o Prêmio Funarte de Dramaturgia, na categoria Teatro Adulto – Região Nordeste.

Sinopse

A Filha do teatro conta a história de um crime: uma famosa encenadora é assassinada. Em seus últimos momentos de vida, ela imagina um estranho espetáculo, de obsessiva inspiração autobiográfica, num diálogo crítico com diversas tendências do teatro contemporâneo. No texto, três atrizes apresentam a história, num fluxo fragmentado, no qual a narrativa de cada uma delas pode ser confundida com as das outras. ” Elas se revezam. São três pontos de vista diferentes”, explica Luís Augusto. Na trama, as personagens falam sobre temas os mais diversos. A ação psicológica predomina. “É uma reflexão sobre o teatro hoje em dia”, comenta o autor. O título já remete para o estudo do processo de formulação de uma montagem, numa linguagem de metateatro, eixo em torno do qual o enredo é construído. A trama provoca a discussão sobre como a arte da representação pode tocar as pessoas.

A peça já foi encenada por diretores como Antônio Rodrigues, em 2013; Antonio Guedes, em 2008; e Antonio Cadengue, em 2007.

Sobre o autor – Luís Augusto da Veiga Pessoa Reis é jornalista e professor do Departamento de Teoria da Arte e Expressão Artística da Universidade Federal de Pernambuco, onde coordena o curso de Licenciatura em Teatro. Também na UFPE, concluiu mestrado em Comunicação Social e doutorado em Teoria da Literatura. Escreveu o livro-reportagem Cinderela – A história de um sucesso teatral dos anos 90, premiado com o segundo lugar no Congresso Nacional da Intercom 2000. É coautor do livro Luiz Mendonça – teatro é festa para o povo (2005), criado em parceria com Carlos Reis e publicado pela Fundação de Cultura do Recife. É autor dos textos Thy nameA morte do artista popular e de artigos sobre teatro e literatura, publicados em revistas especializadas. Desde 2008, integra o Conselho Editorial da Companhia Editora de Pernambuco e também coordena a expansão da Enciclopédia Virtual de Teatro do Itaú Cultural relacionada a esse estado.

Sobre o diretor – Henrique Tavares é considerado um dos melhores autores e diretores da nova geração do teatro carioca, pela crítica e pelo público. Entre os seus espetáculos mais recentes estão: Obsessão, de Carla Faour (indicação ao Prêmio Shell 2012 – Melhor Diretor); A Arte de Escutar, da mesma autora (indicado ao Prêmio Shell 2008 – Melhor Texto); A Força do Destino, de Nélida Piñon (um dos dez melhores espetáculos de 2006 – jornal O Globo); Cidade Vampira (em parceria com Fausto Fawcett); Cine Teatro Drive-inTelecatch (indicação ao Prêmio Shell 2002 – Categoria Especial); Barbara não lhe adora; e muitos outros. Henrique Tavares é, ainda, professor de dramaturgia e interpretação. Como roteirista de TV, é autor da atual série Vampiro Carioca, do Canal Brasil, e de textos para a TV Globo. Foi aluno do grupo inglês Royal Court Theatre; e dos dramaturgos brasileiros Bosco Brasil, João Bethencourt, Miguel Falabella e Lauro Cesar Muniz; além do chileno Marco Antonio de La Parra e do espanhol José Sanches Sinisterra.

Sobre o Ciclo de Leituras Dramáticas – A ideia de levar aos palcos textos da dramaturgia brasileira contemporânea premiados pela Funarte partiu do novo presidente da Instituição, Guti Fraga. As peças que integram a programação foram vencedoras do Prêmio Funarte de Dramaturgia, nas edições entre 2003 e 2005. As leituras são apresentadas sempre às terças-feiras, às 18h30, na Sala Funarte Sidney Miller, com entrada franca. A programação prossegue até dezembro.

Ciclo de Leituras Dramáticas da Funarte

A Filha do Teatro
De Luís Augusto da Veiga Reis (PE)

Direção: Henrique Tavares

Elenco: Camila Linhares, Maíra Garrido e Naara Barros – Casa das Artes de Laranjeiras – CAL (RJ)

Texto contemplado com o Prêmio Funarte de Dramaturgia 2003 – Teatro Adulto – Região Nordeste

12 de novembro de 2013, terça-feira, às 18h30

Sala Funarte Sidney Miller
Rua da Imprensa, 16 – Térreo – Palácio Gustavo Capanema

Centro – Rio de Janeiro (RJ)
Tel.: (21) 2279-8087 – bilheteria
Mais informações: tel.(21) 2279-8104

Entrada gratuita

Realização
Fundação Nacional de Artes – Funarte
Centro de Artes Cênicas
ceacen@funarte.gov.br

Fonte: Funarte
Facebook: Teatro Caetanno’s Agenda Cultural
Twitter: Teatro Caetanno’s
Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 11/11/2013 em Brasil

 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: