RSS

Arquivo mensal: fevereiro 2014

Residências artísticas na França

24-02-2014 – Fátima de Carvalho

 

Embaixada seleciona projetos para a Cidade Internacional das Artes, em Paris  

 

Embaixada-da-Franca3_convocacao-residencias-fev-2014 (1)

 

A Embaixada da França no Brasil divulga, por meio da Funarte, a abertura do processo seletivo para residências na Cidade Internacional das Artes, em Paris.

.
As inscrições estão abertas até 9 de março.
.
Veja abaixo o edital e conheça as perguntas mais frequentes.
.
.
.
Embaixada da França no Brasil
EMBAIXADA DA FRANÇA NO BRASIL

 

RESIDÊNCIAS 2014 NA CIDADE INTERNACIONAL DAS ARTES – PARIS

EDITAL

O programa de residências na “Cidade internacional das artes” em Paris é destinado aos artistas das áreas de atuação abaixo mencionadas, que desejarem desenvolver um programa de criação e pesquisa em Paris, durante três meses. A chamada às candidaturas para o segundo semestre de 2014 está aberta de 14 de fevereiro a 9 de março de 2014.

O Governo francês dispõe, na Cidade internacional das artes, de 13 ateliês de 40m² cada, para os artistas estrangeiros. Os artistas se deslocam à residência para desenvolverem um projeto de criação e pesquisa por um período de três meses. A imersão nessa estrutura de acolhimento em pleno coração de Paris lhes permite a concentração total em sua criatividade e o aprofundamento de sua pesquisa fora de seu contexto habitual.

Depois de mais de uma década, cerca de quarenta artistas estrangeiros se beneficiam todo ano deste programa de residências.

Chamada a candidaturas – 2° semestre de 2014

Inscrições abertas até domingo, 9 de março de 2014

DISCIPLINAS ABRANGIDAS

  • arquitetura, paisagem, urbanismo
  • intervenção urbana, circo e marionetes
  • artes plásticas
  • dança, performance
  • teatro

Não serão considerados os projetos para residências em outras disciplinas.

MODALIDADES

O programa de residências é destinado a artistas estrangeiros. A Embaixada da França (Serviço de Cooperação e Ação Cultural) se encarregará do envio das candidaturas para Paris.

Tempo da permanência

3 meses consecutivos, durante o segundo semestre de 2014.

Condições da permanência

O Governo francês arcará com os custos de aluguel de um ateliê/residência com espaço de aproximadamente 40m², na “Cidade internacional das artes”, situada em 18, rue de l’Hôtel de Ville, no bairro de Marais em Paris. A Embaixada da França oferecerá a passagem aérea e uma bolsa de 3.000 euros ao candidato escolhido pela comissão em Paris. Todos os gastos e despesas utilizados para além deste propósito deverão ser custeados pelo candidato.

Critérios de elegibilidade

Os candidatos devem:

  • ter mais de 18 anos;
  • estar atuando na vida profissional;
  • falar francês (ou inglês) – uma avaliação poderá ser realizada;
  • justificar trabalhos anteriores;
  • serem autônomos na gestão da residência;
  • se liberar de suas atividades profissionais durante todo o período da permanência.

As inscrições estão abertas somente para artistas, individualmente. Não serão aceitas inscrições de companhias, grupos e outros coletivos.

Calendário

  • Abertura da chamada às candidaturas: 14 de fevereiro de 2014.
  • Data-limite para o registro das inscrições: 9 de março de 2014.
  • Comissão de seleção (em Paris): início em abril de 2014.
  • Comunicação dos resultados: final de abril de 2014.

Modalidades de seleção

O Governo francês se reserva o direito de desconsiderar quaisquer projetos, abstendo-se de motivar sua decisão. Suas decisões não admitem recursos.

Entrega da inscrição

As candidaturas devem ser entregues à Embaixada da França no Brasil, através do                                         e-mail: scacbrasilia@gmail.com.

O dossiê de candidatura deve compreender :

  • O Currículo do candidato (máximo: uma página em frente e verso)
  • A descrição do projeto em português (máximo: 4 páginas), se possível com a tradução em francês
  • Uma carta de motivação
  • Certificado de estudos em francês (se houver)
  • Uma carta de acordo do empregador (se houver) para uma licença de três meses no segundo semestre de 2014

Projetos incompletos serão desconsiderados.

Antes de enviar suas dúvidas, leia os esclarecimentos sobre as perguntas mais frequentes.

 

Fonte: Funarte
Facebook: Teatro Caetanno’s Agenda Cultural
Twitter: Teatro Caetanno’s
 
Deixe um comentário

Publicado por em 24/02/2014 em Brasil

 

Teatro Cacilda Becker recebe oficina do CTAC em março

24-02-2014 – Fátima de Carvalho

 

Curso de Capacitação em Criação e Difusão Sonora será ministrado pelo artista sonoro francês Alain Michon, que está no Brasil para residência artística a convite do Projeto Themselves

8adbbb3ed45f8ef0ad2df9529cdac54a30794236                                  Alain Michon. Foto: divulgação

 

O Centro Técnico de Artes Cênicas da Funarte  (CTAC) está com inscrições abertas para a Oficina de Capacitação em Criação e Difusão Sonora, que será ministrada pelo professor e artista sonoro francês Alain Michon, no Teatro Cacilda Becker, no Rio.  As aulas serão oferecidas de 10 a 14 e de 17 a 21 de março, das 10h às 14h, com carga horária total de 40 horas.

Alain Michon está no Brasil participando da Residência Artística no Teatro Cacilda Becker proposta pelo projeto franco-brasileiro Themselves. A Oficina de Capacitação em Criação e Difusão Sonora faz parte do ciclo de Oficinas Trans-formes do Projeto Themselves, da Cia JJ Sanchez/ Assoc. Laza, e se realiza com o apoio da Funarte/Ministério da Cultura, do Consulado da França, entre outras instituições privadas.

Voltada a criadores sonoros, coreógrafos, artistas plásticos, técnicos de som com interesse em criação, a oficina tem como objetivo pesquisar diferentes possibilidades, proposições sonoras e artísticas, acompanhadas de uma série de exercícios. Os participantes vão desenvolver e utilizar a prática multimídia como um dos fios condutores entre eles no intuito de alcançarem uma criação sonora singular.

Haverá certificado para aqueles que cumprirem a frequência exigida de 80%. As inscrições devem ser realizadas através do e-mail oficinastecnicas@funarte.gov.br através do formulário de inscrição devidamente preenchido e carta de intenção até o dia 28 de fevereiro. A lista de selecionados será divulgada até o dia 7 de março de 2014, aqui no Portal Funarte.

Sobre o CTAC – Reconhecido nacionalmente como referência em cenotécnica, iluminação e figurino, o Centro Técnico de Artes Cênicas realiza oficinas nas mais diversas áreas do conjunto estrutural das artes cênicas. Dentre as áreas técnicas abrangidas estão: iluminação cênica, cenografia, cenotécnica, maquiagem, administração e produção teatral, figurino e sonoplastia. O programa de capacitação é realizado nas cinco regiões do país. No processo de capacitação, instrutores de grande renome no cenário das artes cênicas nacionais repassam seus conhecimentos teóricos e práticos, promovendo assim a qualificação dos participantes, contribuindo para a reciclagem de conhecimentos e para o despertar de vocações.

A valorização dos profissionais do chamado backstage, além de contribuir para o resgate e o desenvolvimento específico da área, contribui para o intercâmbio técnico de informações através da troca de experiências e relatos. Assim, no desenrolar desta metodologia, ao mesmo tempo em que colaboramos para a descentralização de conhecimentos no campo das artes cênicas, cooperamos na ampliação do raio de alcance das ações da Fundação Nacional de Artes, através da disseminação de saberes. O CTAC faz parte do Centro de Artes Cênicas (Ceacen) da Funarte.

Acesse aqui o formulário de inscrição –Atenção:para baixar o arquivo, utilize somente os navegadores Mozilla Firefox ou Internet Explorer. Os anexos deste portal não interagem com outros navegadores, tais como o Google Chrome.

Serviço:
PROGRAMA OFICINAS 2014 – Centro Técnico de Artes Cênicas da Funarte

OFICINA DE CRIAÇÃO E DIFUSÃO SONORA

De 10 a 14 e de 17 a 21 de março de 2014, das 10h às 14h
Ministrante: ALAIN MICHON
Gratuito

OBS.: Todos os dias entre 13h e 14h, a oficina será aberta para a observação. Diferentes contextos de criação serão propostos aos participantes das oficinas no Cacilda Becker e no Circo Voador.

Sobre ALAIN MICHON
É professor e artistas sonoro, gravando os sons da cidade e os rumores da natureza há mais de vinte anos. Foi fundador do ensino do som na Escola Nacional Superior de Belas Artes, em Paris, França. É cofundador do grupo Lolita, com o qual desenvolveu inúmeros espetáculos, dentre os quais, Comedy Zoopsie, com figurino assinado por Christian Lacroix. Hoje, alterna seu tempo entre o ensino, a composição e design de som para museus e lugares públicos. Atualmente no Brasil, ele participa do projeto Themselves como criador sonoro.

Fonte: Funarte
Facebook: Teatro Caetanno’s Agenda Cultural
Twitter: Teatro Caetanno’s
 
Deixe um comentário

Publicado por em 24/02/2014 em Brasil

 

O reino imagético de Gilvan Samico até 11/5 · Brasília, DF

24-02-2014 – Fátima de Carvalho

 

1392404427_untitled1

 

A CAIXA Cultural Brasília apresenta, de março a maio, a exposição:

Linhas, Trançados e Cores: no Reino de Gilvan Samico

Exposição inédita do pernambucano Gilvan Samico (1928 – 2013), um dos maiores nomes da gravura nacional que se valia da cultura nordestina, revela a magia de mundos míticos e poéticos narrados em 28 xilogravuras que estarão expostas na CAIXA Cultural Brasília, de 18 de março a 11 de maio de 2014.

Samico ficou conhecido por suas xilogravuras, elaboradas e criadas meticulosamente com, muitas vezes, mais de 100 esboços até a impressão final, chegando a fazer até três Provas do Artista. A simplicidade e rigor, dedicação e ausência de pressa que construiu seu reino imagético o levou, a certa altura da carreira, a produzir apenas uma gravura por ano e, nesse processo, fazia esboços e estudos a lápis grafiti, matrizes únicas para experimentar a criação.

A paixão e o interesse pela estética da cultura regional nordestina levou Samico, nos anos 1970, a trocar o expressionismo pela visualidade tropical ligada ao cordel. Então, figuras do cotidiano, narrativas locais, lendas, animais fantásticos, símbolos religiosos e personagens bíblicos passaram a se fundir em sua obra para criar alegorias cujos motes são a fantasia e o romanceiro popular nordestino. “Eu vivia numa época de espaços abertos, habitados por bichos, muitas árvores… Convivia com esses espaços e com cabras, bois, cavalos, passarinhos, cobras, sapos… Tudo isso passou a ser minha referência”, comentou Samico em conversa com a curadora da exposição, Renata Pimentel.

Samico foi pintor, desenhista, professor e gravador, seu traço preciso, misturando luzes e texturas, foi revelado logo no começo da carreira – em 1957, 1958 e 1960 quando premiado no XVI Salão de Pintura do Museu do Estado de Pernambuco. Para aprimorar sua arte, deixou o Recife e estudou xilogravura com Lívio Abramo, na Escola de Artesanato do Museu de Arte Moderna de São Paulo, e gravura com Oswaldo Goeldi, na Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro. O reconhecimento de seu trabalho alcançou o Museu de Arte Moderna (MoMa) de Nova York, que tem obras em seu acervo, e participou duas vezes da Bienal de Veneza.

Era um grande leitor e, como tal, vivia preenchido de um mundo interior mágico e fértil. Suas referências não são óbvias, não é apenas pela superfície que se lê sua obra: “O outro lado do rio”, por exemplo, seria jeito de o nosso Samico contar sua versão d’“A Terceira margem do rio”, de Guimarães Rosa, o mineiro tão sertanejo e regional quanto absolutamente universal e que, declaradamente, não acreditava em acasos?”, exemplifica Renata.

“No último lindo encontro que tive com Samico, pouco antes de ele ser internado pela última vez, perguntei se ele ficava satisfeito com esta exposição vir a acontecer, se ele confiava que eu a idealizasse… Disse-lhe que se ele não quisesse, eu não faria… Magro, debilitado, ele me deu bênção; também me falou de o quanto era ainda cheio por dentro, o quanto ainda havia tanta coisa dentro dele. Mesmo após a sua viagem (em sua “Ascensão” de poeta, louco e artista para o “reino do vai-não-volta”?), em 25 de novembro de 2013, Samico segue em mim e em todos que conhecem sua obra, porque por ela e nela se encantam e se deixam povoar. Samico é muito maior que qualquer suporte em que tenha criado; imortalizou a si mesmo nas narrativas que deixou em seu poético reino de linhas, trançados e cores”, relembra, emocionada, Renata Pimentel.

onde fica: CAIXA Cultural Brasília
Visitação de terça a domingo, das 9h às 21h
Classificação livre para todos os públicos
quando ir: 18/3/2014 a 11/5/2014
quanto custa: Entrada franca
website: www.caixa.gov.br/caixacultural
contato: caixacultura.df@caixa.gov.br

Fonte: overmundo
Facebook: Teatro Caetanno’s Agenda Cultural
Twitter: Teatro Caetanno’s
 
Deixe um comentário

Publicado por em 24/02/2014 em Brasil

 

II CICLO LITERATURA COMENTADA de 17/5 a 13/12 · Aracaju, SE

24-02-2014 – Fátima de Carvalho

 

1392556522_cartaz_ciclo_imagem_jep_1                                             Cartaz do II Ciclo Literatura Comentada 

 

Estão abertas as inscrições para o “II Ciclo Literatura Comentada”, que será realizado entre os dias 17 de maio a 13 de dezembro de 2014.
O objetivo do projeto “Ciclo Literatura Comentada” é formar leitores literários no curso de graduação em Letras, para que estes, quando docentes, possam vir a contribuir com a formação de novos leitores literários, e desenvolver leituras de obras literárias consideradas como obrigatórias para os graduandos em Letras e futuros professores de literatura.
O projeto em enfoque, a ser realizado no período entre 17 de Maio e 13 de dezembro de 2014, desenvolver-se-á em dez encontros, em cada um dos quais serão estudadas obras literárias previamente selecionadas, conforme a programação aqui apresentada (ver item V). No decorrer desses encontros, serão expostos materiais multimidiáticos, objetivando-se, com essa prática, ampliar o conhecimento acerca do contexto histórico de escritores e suas respectivas obras. Na sequência, professores convidados comentarão as obras em estudo, abrindo-se, com isso, espaço para um debate entre o público presente. Assim, aos estudantes será dado contribuir para o enriquecimento do seminário, fomentando-se, com isso, o posicionamento crítico dos envolvidos no debate. Ao final do Ciclo, em uma data pré-estabelecida, cada participante poderá apresentar, no máximo, duas análises acerca das obras literárias elencadas. O envio dos trabalhos deve ser feito até a data determinada no cronograma (ver formas de participação). Os artigos serão avaliados por uma comissão científica composta por professores da área de Literatura, que irão escolher os melhores trabalhos para serem publicados em livro.
As obras literárias escolhidas para serem lidas e comentadas durante o Ciclo Literatura Comentada são aquelas incluídas na lista indicada nos dois últimos Exames Nacionais de Desempenho de Estudante (ENADE 2008 E 2011), tal como estão dispostas na portaria nº 131, de 7 de agosto de 2008, e Portaria Inep nº 222 de 26 de julho de 2011. Além de contribuir para a prática da leitura literária, O Ciclo Literatura Comentada também possibilita aos estudantes um conhecimento aprofundado dessas obras, apontando tal fato para a importância da realização do projeto no âmbito universitário.
Compõem o público alvo deste projeto graduandos e graduados no curso de Letras, professores de Educação Básica, pesquisadores e demais interessados. O evento será limitado a 170 pessoas.

COMISSÕES
a) Coordenação Geral:
Profa. Dra. Vilma Mota Quintela
b) Comissão Científica:

Prof. Me. Álvaro César Pereira de Souza (FSLF)
Prof. Me. João Escobar Menezes (FSLF/FAC. ATLÂNTICO/NEC-UFS)
Prof. Me. Márcio Cardoso Lima (FSLF)
Profa. Ma. Sara Rogéria Santos Barbosa (FSLF/NEC-UFS)
Profa. Dra. Vilma Mota Quintela (FSLF/NEC-UFS)

c) Comissão Executiva:

Ariosvaldo Leal de Jesus (FSLF / NEC-UFS)
Clayton Roberto dos Santos (FSLF / CALVM)
Ellen dos Santos Oliveira (UFS / NEC-UFS)
Fábio Silva Santos (FSLF / CALVM)
Gilvaneide Batista Silva (PIO – X)
Grace Kelly Caldas da Silva (FSLF)
Luiz Carlos Nascimento da Hora (FSLF)
Márcio Souza de Jesus (FSLF / CALVM)
Miqueias Moreira de Araujo (FSLF / CALVM)
Yasmim Raquel Freitas Araújo (FSLF / CALVM)

Para saber mais acesse o blog do evento:http://iicicloliteraturacomentada.blogspot.com.br/

onde fica: Faculdade São Luís de França
Rua Laranjeiras, nº 1838, Aracaju – SE
quando ir: 17/5/2014 a 13/12/2014, às 14:00h
quanto custa: Ver valores no blog:
http://iicicloliteraturacomentada.blogspot.com.br/p/valo.html
website: http://iicicloliteraturacomentada.blogspot.com.br
contato E-mail: cicloliteraturacomentada@hotmail.com

 

Fonte: overmundo
Facebook: Teatro Caetanno’s Agenda Cultural
Twitter: Teatro Caetanno’s
 
Deixe um comentário

Publicado por em 24/02/2014 em Brasil

 

‘Fábrica de Chocolate’ no Teatro Glauce Rocha, no Rio

18-02-2014 – Fátima de Carvalho

 

 

0cc3d4afb5188b626e0908a65a272d1f6b513183                                  Fabrica de Chocolate

A ação de Fábrica de Chocolate se desenvolve durante a ditadura militar, quando um operário de uma fábrica de chocolate morre, após ser torturado pelos agentes da repressão. Na peça, o órgão repressor tenta provar que o assassinato foi, na verdade, um suicídio, e que a vítima parece ter se enforcado. O espetáculo está em cartaz até 23 de fevereiro, com apresentações de quinta a domingo, às 19h, no Teatro Glauce Rocha, no Centro do Rio.

Escrita por Mário Prata, em 1979, é a única peça  acerca da época da ditadura que foca a ação nos torturadores. Os personagens são funcionários do DOI CODI encarregados de interrogar e resolver os caminhos dos investigados. O escritor quis retratar o brasileiro que tortura o semelhante como alguém que tem família, que se confunde na rua com a multidão, que gosta de futebol. O burocrata da morte. Um homem comum.

A peça registra diversos escalões do aparato repressivo, do carcereiro-torturador, passando pelas chefias intermediárias, aos escalões superiores. Diálogos brilhantes, mordazes e inteligentes compõem o texto de Mário Prata que, chocado pelo assassinato do jornalista Vladimir Herzog (1975), transformou em ação dramática esse momento histórico.

Fábrica de Chocolate 
De quinta a domingo, às 19h

Ficha Técnica: 
Texto: Mario Prata
Elenco: Adriana Torres, André Cursino, Daniel Villas, Guillermo Regenold, Henrique Manoel Pinho, Victor Garcia.
Direção: Luizapa Furlanetto
Cenário e Direção de Arte: José Dias
Figurinos: João de Freitas Henriques
Design Gráfico e Fotos: Kiko Ferreira
Trilha Sonora: Mario Portella
Operador de Luz e Som: Alexandre Reis
Produção Executiva : Henrique Manoel Pinho
Idealização e Realização: Hermes Frederico

Duração: 70 minutos
Classificação: 14 anos
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia)

Teatro Glauce Rocha
Av. Rio Branco, nº 179 – Centro, Rio de Janeiro
(próximo à Estação Carioca do Metrô)
(21) 2220-0259

Dias: De 20 de fevereiro a 23 de fevereiro de 2014
Horário: 19:00 às 20:10
Local: Teatro Glauce Rocha Av. Rio Branco, nº 179 – Centro, Rio de Janeiro
(próximo à Estação Carioca do Metrô)

 

Fonte: Funarte
Facebook: Teatro Caetanno’s Agenda Cultural
Twitter: Teatro Caetanno’s
 
Deixe um comentário

Publicado por em 18/02/2014 em Brasil

 

Painéis Funarte de Bandas de Música vão à Bahia, ao Pará e ao Espírito Santo

18-02-2014 – Fátima de Carvalho

 

São oferecidos cursos de aprimoramento técnico em instrumentos, arranjo, percepção e ensaio para regente; além de reparo e manutenção de instrumentos de sopro – entre outras disciplinas

604f28f6289a38efad3a0453861afad394b79625

 

No primeiro semestre de 2014, os Painéis Funarte de Bandas de Música serão realizados nas cidades de Cachoeira, na Bahia (de 9 a 13 de abril), Salvaterra, no Pará (de 14 a 18 de maio), e Marechal Floriano, no Espírito Santo (de 28 de maio a 1° de junho).

No programa, são oferecidos cursos de capacitação técnica e fundamentos para instrumentos de sopro (flauta, clarineta, saxofone, trompa, trompete, trombone, bombardino e tuba), percussão, percepção musical, instrumentação e arranjo, reparo e manutenção de instrumentos de sopro, prática de conjunto e técnicas de ensaio para o regente de banda. O quadro de professores conta com profissionais de reconhecida competência, vindos de diversas regiões do país.

Os Painéis dão prosseguimento ao Projeto Bandas, criado pela Funarte, em 1976, para atuar em prol do desenvolvimento das bandas de música no Brasil, apoiando, estimulando e preservando a rica tradição dessa linguagem musical. O trabalho inclui o levantamento e a edição de partituras, guias e manuais;a distribuição gratuita de instrumentos musicais para as bandas; e a realização de cursos de capacitação e atualização.

O Ministério da Cultura e a Fundação Nacional de Artes – Funarte celebram importantes parcerias para a realização dos Painéis – junto a instituições de cultura estaduais, municipais e privadas, além de universidades – com o objetivo de aprimorar, atualizar e ampliar o conhecimento de instrumentistas e regentes de bandas, estimulando a troca de experiências proporcionada pelos encontros.

Os interessados nos Painéis Funarte de Bandas de Música devem encaminhar o formulário de inscrição preenchido, para o local de inscrição de cada Painel, determinado no folder abaixo, ou digitalizar o formulário preenchido e enviá-lo por e-mail para o coordenador do local. O formulário está no próprio folder.

As inscrições não serão realizadas através dos e-mails da Funarte.

Acesse aqui as informações sobre inscrição e o formulário

Painéis Funarte de Bandas de Música

Realização: Fundação Nacional de Artes – Funarte
Centro da Música/Coordenação de Bandas

Ministério da Cultura

Apoio

Governo do Estado da Bahia
Secretaria de Estado de Cultura da Bahia
Fundação Cultura do Estado da Bahia

Prefeitura Municipal de Cachoeira
Secretaria de Cultura e Turismo de Cachoeira

Governo do Estado do Pará/ Secretaria Especial de Promoção Social
Fundação Carlos Gomes
Prefeitura Municipal de Salvaterra

Governo do Estado do Espírito Santo
Secretaria de Estado da Cultura
Prefeitura Municipal de Marechal Floriano

Secretaria de Cultura e Turismo de Marechal Floriano
Associação Comercial Agroindustrial de Marechal Floriano
Montanhas Capixabas Convention & Visitors Bureau

 

Consultoria Pedagógica e Direção Artística: Maestro Marcelo Jardim

 

Fonte: Funarte
Facebook: Teatro Caetanno’s Agenda Cultural
Twitter: Teatro Caetanno’s
 
Deixe um comentário

Publicado por em 18/02/2014 em Brasil

 

Paulinho Moska lota Sala Funarte Sidney Miller

18-02-2014 – Fátima de Carvalho

 

Show encerrou a semana do projeto Música no Capanema. Esta semana tem Kay Lyra & Maurício Maestro e Zarapatéu

 

Moska. Foto: Sebastião Castellano

O público lotou a Sala Funarte Sidney Miller para o show do cantor Paulinho Moska, Muito Pouco Para Todos, na última sexta-feira (14). Encerrando a semana do Projeto Música no Capanema, o espetáculo reuniu músicas novas e consagradas, entre elas “O que você faria?”, “Namora Comigo”, “Lágrimas de Diamante”, “Pensando Nela”, “Somente Nela” e “Saudade”.

O trabalho mais recente de Paulinho – CD e DVD gravados ao vivo em comemoração aos 20 anos de carreira solo – reúne obras novas e sucessos de discos anteriores, clássicos como O Último Dia (1995), A Seta e o Alvo (1997), Um Móbile no Furacão (1999), Tudo Novo de Novo e Pensando em Você (2003). Algumas das músicas se tornaram populares em novelas e minisséries.

Moska, como assina nos últimos tempos, já emplacou 13 temas em trilhas da TV Globo – 11 deles em sua própria voz. Suas primeiras gravações profissionais surgiram no álbum de estreia do grupo Garganta Profunda, A Orquestra de Vozes(1986). Nesse mesmo período, junto a outros companheiros do Garganta, integrou a banda Inimigos do Rei. Depois, partiu para uma bem-sucedida carreira solo. Versátil, se arriscou também nas artes visuais, fotográficas e no cinema. Compositor requisitado, já foi gravado por Marina Lima (Admito que Perdi), Elba Ramalho e Lenine (Relampiano), Ney Matogrosso (Gotas do Tempo Puro), Maria Rita (Muito Pouco) e Mat’nália (Soneto do Teu Corpo), dentre outros.

O projeto ‘Música no Capanema’ é realizado pela Fundação Nacional de Artes – Funarte. A programação, lançada em dezembro de 2013, traz o melhor da música brasileira, nos mais variados estilos, sempre de quarta a sexta-feira, às 18h30. A distribuição de ingressos é feita na bilheteria da Sala Funarte Sidney Miller, a partir das 18h. Ainda neste mês de fevereiro, Kay Lyra & Maurício Maestro, no dia 19; Zarapatéu, no dia 20); Marcos Sacramento, dia 21; Hamilton de Holanda, dia 26; e a Bateria da Vila Isabel, dia 27. A entrada é gratuita.

 

Fonte: Funarte
Facebook: Teatro Caetanno’s Agenda Cultural
Twitter: Teatro Caetanno’s
 
Deixe um comentário

Publicado por em 18/02/2014 em Brasil